Seguidores

terça-feira, 17 de maio de 2011

O PERFIL DE UM FALSO PROFETA

À luz das Escrituras, um falso pregador tem sempre no seu perfil algumas características bem sintomáticas. Mas Bíblia aponta como defeito principal do falso profeta o interesse pessoal (Jo 10.10-13). Aliás, há pelo menos três tendências bem acentuadas na vida de um falso arauto. "Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores" Mt 7.15. - Vejamos quais sãos essas três tendências:




1. Prega por ganância - Ele transforma o Evangelho de Jesus em objeto de liquidação. Vende às pessoas um lugar no céu; não tem nenhum escrúpulo de cobrar quantias vultuosas por uma pregação, oração e cura. Praticam a simonia da forma mais gritante e escandalosa possível, e negociam os carismas de Deus para auferirem lucro financeiro. De acordo com o apóstolo São Paulo, os que assim agem se tornam inimigos da cruz de Cristo, porquanto o seu Deus é o ventre, e a sua glória é a vergonha (Fp 3.18,19). O Brasil se tornou um campo fertil para tais profetas falsos, que estão se enriquecendo descaradamente com o dinheiro do povo de Deus. Suas mensagens são aquececidas pelo "microondas" da repetição e são apoiados e ajudados por alguns pastores locais que até "racham" a oferta durante os dias das reuniões.




2. Prega por prestígio - porque visa apenas a projeção pessoal, o estrelato e a publicidade, não se importando em dar gloria a Deus em tudo. Não se preocupa em beneficiar os seus ouvintes, mas, sim com o que pode tirar de vantagem de cada um deles. Geralmente, não se importa com ninguém, a não ser consigo mesmo. Instrumentaliza a Palavra de Deus para proveito pessoal, roubando os méritos de Deus para si próprio. Inclusive quando chega a um lugar, analisa a igreja local e prega aquilo que os ouvintes gostariam de ouvir, bajulando a todos com mensagens "doces e balas" que distribuem às ovelhas para voltar de novo a pregar no mesmo lugar pois jamais tocará nas "feridas que necessitam ser espremidas e tratadas" (Is 1.6).


3. Prega para transmitir as próprias idéias -  Não se coloca na presença de Deus apenas como porta-voz de sua mensagem, deixando-a fluir como Palavra de Deus para o coração humano Aliás todo falso profeta começa difundindo as suas próprias idéias a partir do que ele chama de uma "nova revelação". A maioria das seitas falsas existentes usa dessa mesma estratégia para conseguir adeptos. Começam com uma visão que alguém diz ter recebido de Deus ou de um anjo, e depois saem apregoando o ocorrido pelos quatros cantos da terra. Daí para frente o que era até então apenas uma "experiência fictícia" para a ser a verdade de todos.  Hoje é muito fácil manipular as multidões com tais visões, revelações e "Deus me mostra". Claro que existem manifestações reais de Deus, mas o profeta falso não paga o preço na oração, no jejum para receber de Deus a  mensagem genuína (2 Tm 2.17,18).


Do exposto, termino dizendo que Jesus deixou claro em João 7.24 que devemos julgar com reta justiça, deixando as aparências de lado. Isso quer dizer que só aquilo que for objetiva e comprovadamente mostrado como algo concreto, vale para juízo.


Adaptado: Fonte - Pr. Paulo C. Lima



Nenhum comentário:

Postar um comentário